BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009



Mark Ryden!
*_*

[Ressurreição]

E há de sempre ficar aí, ao chão?
Carregando toneladas de desconforto.?
Este desgosto que não lhe pertence?
Cortando o cordão umbilical, desfazendo o contrato verbal.
Exorcismo vital.
Sem linhas que evidenciem o adeus,
Sem fatias de espera,
Sem retinências, nem porquês.
E quem há de suportar?
Esse eu lacônico?
Inflexível,
Imutável.
Não há como transpor sentires a outro coração...
Quem ama só, é platonismo, é encanto, é oasis.
Quem ama só, se perde entre os caminhos.
Unilateralismo...
..........................Te persegui por todas as cores de Frida Kahlo,de Tarsila, de Picasso.
Por todas as teorias de Freud, de Kubrick, de Curtis.
Por Nietzsche, por Orwell, por Fernando, o Pessoa...
Te persegui e você escorreu entre meus dedos...!
................Vende-se coração, confiança.
Sonhos fracos de amores eternos...De felicidade, de entrega.
Vende-se á preço bem baixo...De que vale um coração que renega a existência da pureza e da docilidade?
Aceita-se permuta.
Já é vã toda essa luta!
Vendi...Agora só resta o espaço vazio!
.......................Não me tirem dessa redoma...
Sinto-me incrivelmente confortável...
A esquizofrenia é mais adaptável, saudável.
É a película de proteção.
É um escudo de prata,
É talvez, um pouco mais do que o nada...!
É a bolha, é o cárcere por opção.
É privação, é querer não fazer parte
Do campo alheio de visão!
................................DELÍRIOS,
DESEJOS,
DOCILIDADE,
DÁDIVA,
DISTÂNCIA,
DESARMAR,
DIVIDIR,
DIZER,
DIRECIONAR,
DISTRAIR,
DIVAGAR,
DELICIAR,
DESTACAR,
DESCRENÇA,
DESAVENÇA,
DORMÊNCIA,
DEDICAÇÃO,
DEVOÇÃO,
DIREÇÃO,
DESFECHO,
DERROTA,
DESTINO,
DESOLADA,
DESCARTADA,
DILACERADA,
DESMEMORIADA,
DELICADEZA,
DESTREZA,
DESBUNDE,
DEBATE,
DÍVIDA,
DISPARAR,
DESESPERAR,
DIFERENÇAS,
DESPERDÍCIO,
DESPREZO,
DESORDEM,
DILÚVIO,
DOMAR,
DEMORAR,
DEVORAR,
DECIFRAR,
DESMORONAR,
DOER,
DANÇAR,
DORMIR,
DIFERENCIAR,
DESILUDIR,
DOAR
DESLUMBRAR,
DESFALECER,
DÚVIDA,
DIRETA,
DOIDA,
DOENTE,
DESFRUTAR,
DECIDIR,
DESEMBARALHAR,
DESARRUMAR,
DESPEDIR,
DELIBERAR,
DESPRENDER,
DEFINIR,
DESMEDIDO,
DOMINAR,
DENOMINAR,
DRIBLAR,
DOMESTICAR,
DESOBISTRUIR,
DURAR...

.....................
[Sextaaaaa....*_*]
[qdo? qdo vc não aguentar mais, e desejar dar um basta NO SEU SOFRIMENTO ...
pq? Pq vc não merece nem metade de tudo que está passando nesses últimos tempos...- M.C.]
[Losing my religion]
[Eu sou uma sobrevivente!!!!!]
[Segunda tem entrevistaaa!+))))))]
[Câmbio desligo!]

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

[Digitais] - Isabela Taviani

Eu tava aqui tentando não pensar no seu sorriso
Mas me peguei sonhando com sua voz ao pé do ouvido
E te liguei
Me encontro tão ferida, mas te vejo ai também em carne viva
Será que não tem jeito?
Esse amor ainda nem nasceu direito, pra morrer assim

Se você pudesse ter me ouvido um pouco mais
Se você tivesse tido calma pra esperar
Se você quisesse poderia reverter
Se você crescesse e então se desculpasse
Mas se você soubesse o quanto eu ainda te amo
É que eu não posso mais

Não vou voltar atrás
Raspe dos teus dedos minhas digitais
Eu não vou voltar atrás
Apague da cabeça o meu nome, telefone e endereço
Eu não vou, eu não vou voltar atrás
Arranque do teu peito o meu amor cheio de defeitos

Me mata essa vontade de querer tomar você num gole só
Me dói essa lembrança das suas mãos em minhas costas
Sob o sol da manhã
Você já me dizia: conheço bem as suas expressões
Você já me sorria ao final de todas as minhas canções
Então por que?

http://www.youtube.com/watch?v=XOYZwQ8-FEE


[Então dorme com esse barulho!-M.C.]

Mundo Grotesco..!

Olha pra tudo isso...Não dá uma vontade súbita de vomitar?
De jogar excrementos em suas faces sórdidas...!
De berrar em seus ouvidos para que ensurdeçam...
Minha cabeça explode de ódio, de reprovação.
Jorre veneno de suas gargantas pútrefas!
E exale seu fedor de espírito de porco...De anti-herói, de mercenário, de subversivo tosco.
Piso sobre cabeças daqueles que escolheram a intolerância cega.
A doutrina previamente elucidada, reafirmada, praguejada.
Eu tenho asco do moralmente correto, do caminho certo,
Do maniqueísmo, do terrorismo, do teocentrismo.
Eu tenho medo de chorar.
Desdobro as páginas desse mundo ilegível.
Como gregos tentando decifrar hieroglifos.
Transito em meio ao horror e a sinfonia.
Vejo a pobreza nas calçadas e nas almas.
Vejo a cegueira que não lê em braile.
Escuto os gritos mudos dos invisíveis.
Permaneço estática perante a esse turbilhão.
Essa multidão, essa manada em auto destruição.
Essa pressa incoerente, demente.
Essa tortura por falsetes.
Quero queimar a constituição...
O hino nacional, o banco central.
Quero ver arder...
Quero ver algo acontecer!
Me dêem o direito de contrastar,
De subverter, de realinhar.
De fazer torto, de ser desgosto,
De ser supostamente louco.
Rasguei meu registro geral,
Doutrinei minha vida.
Cuspi na honra mentirosa.
Nos critérios, nos incrédulos.
Minha 38?
A minha escrita!



[Mundo cão]
[Quarta de cinzas]
[Vermelho...+(]
[tédio, com um "t" bem grande pra vc!]
[Deprê.]


[Open Fire - Silverchair]

[18 meses]




23 de Maio, gêmeos...! - Foto por Enka.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

[Californication]

"Conheci alguém.
Foi acidental, eu não estava à procura. Eu não estava à caça.
Foi uma tempestade perfeita.
Ela disse uma coisa, eu disse outra.
Em seguida eu soube que queria passar o resto da vida naquela conversa.
Agora tenho essa sensação no peito. Pode ser ela.
Ela é totalmente louca, de um jeito que me faz sorrir, altamente neurótico.
Bastante manutenção necessária.
E...É você.
Essa é a boa notícia.
A má é que não sei como ficar com você agora.
E isso me assusta pra caralho.
Porque se eu não ficar com você agora, tenho a sensação de que vamos nos perder por aí.
É um mundo grande, malvado, cheio de reviravoltas. E as pessoas tem um jeito de piscar e perder o momento. O momento que podia ter mudado tudo.
Eu não sei o que está acontecendo com a gente, e não sei te dizer por que você devia arriscar um salto no escuro pra gostar de mim, mas, porra, você cheira bem, como um lar."

[Velha Infância]


E por que há de lembrar de tua infância?
[Comidinha de areia com o Victor se sufocando]
[Testa da Lica cortada na escada da vizinha]
[Tratamento da barba e alicates com os dedos do meu pai]
[Brincar de boneca, de lojinha]
[Capas de carteira, lancheiras]
[4 anos, nascimento dos gêmeos]
[Barbie noiva, Terremoto, Pogobol, moranguinhos]
[Olhando para a imensidão do mar pela primeira vez e dizendo "Vô, que piscina grandeeeee!"]
[Zoológico, Piqueri, Parque da Aclimação]
[Praia Grande, Atibaia, Itariri]
[Caloi Ceci, Mentex, Conguinha]
[Gira-gira, esconde-esconde, amarelinha]
[Corda, Lego, X men]
[Convulsão, e ESCOLA NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!(rs)]
[Salmo 23, ET, filé de fígado]
[Os 3 porquinhos, a frigideira com óleo quente]
[Catapora, Guarapiranga, atari]

Anos 80' baby!


[Viver é bom, nas curvas da estrada, solidão que nada...Solidão que nada...!- Cazuza]

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009






http://www.lastfm.com.br/music/Hole/Live+Through+This

[Omissão é mentira?]





Eu gostaria mesmo, que todas as pessoas que não dizem a verdade, tivessem seus narizes cada vez maiores.Assim reconheceríamos de fronte, os 'mentirosinhos', os pinóquios dessa existência cada vez mais fétida e insuportável.!Minha fantasia neste carnaval, bem gostaria que fosse de colombina...Mas é de pierrot, o palhaço, o enganado...
E que talvez o conto de fadas, não sucumbisse ao tempo.
O SAPATO DA CINDERELA NÃO SERVIU.
o BEIJO DO PRÍNCIPE NÃO DESPERTOU A BELA ADORMECIDA.
NÃO EXISTE 'A BELA E A FERA'.EXISTEM DUAS FERAS, DUAS ESFERAS.
A BRANCA DE NEVE SE ENVENENOU.
A JASMINE NÃO SE CASOU COM O ALADIM.

A omissão é mentira?
E uma verdade semi dita?
ÓDIO como morfina.
Lisérgicos como alternativa!
Eu não quero esse mundo de fiascos!
Há de ser enterrado,
Sem cortejo,
Sem reza,
Sem desespero.
Há de ser infinitamente mortificado.
Soterrado.
Mentiras são adagas,
São armas,
São sádicas.




...
[No meu mundo bizarro, quem manda sou eu...!]
[Decepção universal...!]
[Agora só falta você - Rita Lee.!]
[Back on the chaing]
[Shalalaika!]
[Sad]
[Delirando em Fernando Pessoa]
[E no meu óculos branco!]
[O Zafa disse que tudo que se escreve entre colchetes, deveriam só ser pensamentos, o que não poderia então, ser lido.Eu queria mesmo que fosse assim, já que tudo que vem depois das poesias, não há subjetividade alguma!Nem faço questão....!]
[Mas as vezes gostaria que ninguém pudesse entender de fato o entre 'colchetes'.]
[Meu carnaval tá mais pra quarta-feira de cinzas...!]
[Fds com gente querida!]
[Del em mim]
[Agora, é COOL, ser CULT!!!Ahhhh, me poupe!]
[Conte com a minha ausência!]

[Câmbio desligo...]

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Tá bom - Marcelo Camelo.

Senta aqui que hoje eu quero te falar
Não tem mistério, não
É só teu coração
Que não te deixa amar
Você precisa reagir
Não se entregar assim
Como quem nada quer
Não há mulher, irmão, que goste desta vida
Ela não quer viver as coisas por você
Me diz, cadê você ai?
E ai, não há sequer um par pra dividir

Senta aqui, espera que eu não terminei
Pra onde é que você foi
Que eu não te vejo mais?
Não há ninguém capaz
De ser isso que você quer
Vencer a luta vã
E ser o campeão
Pois se é no "não" que se descobre de verdade
O que te sobra além das coisas casuais
Me diz se assim está em paz?
Achando que sofrer é amar demais

Nostalgia..."O Infinito".



Leva-me contigo...!
Para o infinito!
é aonde quero repousar esse amor, já tão sofrido.
Quero abrigar o teu corpo.Ser teu gosto.
Feche as janelas da intromissão.
Leva-me pro seu universo particular.Tranque as portas, jogue as chaves fora.
Leva-me pro mar...Pra onda me acariciar...
Leva-me pras estrelas, sem passagem pra voltar.
Leva-me pro teu destino, pra tua sina.
Pro teu caminho.
Quero ser a rosa sem espinhos.
Leva-me pra onde eu possa ouvir somente seu respirar.
Leva-me pra onde não poderemos resistir em nos amar.
Leva-me em tuas pupilas.
Eleva-me.
Leva-me e seremos bucólicos, sólidos.
Leva-me em teu compasso.
Em teu espaço.
Leva-me até sua ferida mais entreaberta,
Até sua desconfiança mais incerta.
Leva-me até o sombrio de sua alma.
Até a sua casa.
Leva-me pra Saturno, pro submundo.
Leva-me embora dessa lacuna,
Que se fixou em mim quando partiu.
Leva-me pra longe dessa saudade melancólica.
DIABÓLICA.
Leva-me pra Paris.
Leva-me em teus neurônios e em teus hormônios.
Leva-me pra qualquer lugar,
Distante daqui.
Leva-me pra onde a pureza irá se sublinhar,
Aonde a essência perdurará.
Aonde a sensação, se destacará.
Leva-me entre as artérias.
Leva-me de mim!
Leva-me pra onde posso desabar.
DESABAFAR, ORAR.
Leva-me pra uma canção, de melodia doce.
Deixe-me crer nessa ilusão.
Leva-me pra chuva, pros teus lábios.
Pra sua rua.
Leva-me dessa loucura absoluta.
Leve-nos para a trégua.
E para ouvir mais uma vez, os teus acordes.
Leva-me dessa ânsia contida,
Dessa ausência dolorida.
Leva-me pra terra prometida.
Leva-me com a roupa do corpo,
Uns tostões no bolso,
E milhões de coisas à sonhar.
Leva-me ao Sol...Não temo em me queimar.
Leva-me aonde você possa reconsiderar,
Que sou tua e hei sempre de amar.
E não há outro, que possa, ocupar o teu lugar.
Leva-me pra onde se faz do pranto, riso.
Pra onde divida dias e noites contigo!
Leva-me pra Wonderland, Neverland.
Leva-me pra eternidade!

Work



Tarsila do Amaral - Operários.



Crise mundial, salário abstrato.
Tão desumanizando todos os trabalhos.
Que se instaure a total imparcialidade.!
Deixemos nossos olhos de paixão, se esquivarem.
Promova o terceiro poder que induz.
Não trocaremos nosso conforto por dinheiro.
Não venderemos nossas almas por ostentação,
Status,
Promoção.
Não articularemos contra nossos preceitos.
Em detrimento do que não precisamos, do que não temos.
Não queremos ter a paz leiloada,
Ter os movimentos calculados, filmados, reafirmados.
Não queremos ser o funcionário do mês.
Não abdicaremos de ficar ao relento,
Ao invés de hora extra, happy hour, falsos momentos.
Sorrisos amarelos e ternos cinzentos.
Superficialidade consumida, escancarada, destemida.
Escravidão pós Lei Áurea.PERMITIDA!
Da liberdade, da escolha, da coragem.
Estamos aonde queremos estar!
E isso é muito grandioso, basta observar...
Me sinto peça da sociedade...PARTE!
Não marionete prodígio.!SABE?
E o mundo há de entender,
Que se procura mais do que apenas obter.
Juntar, oferecer...!
Minha cara limpa enfrentando o exército da globalização.
Meus passos que vão na direção da satisfação, da emoção.!
E vocês, estátuas de pedra, aonde está o coração?
Não me robotize...Não me mecanize.!
Afinal, antes de qualquer título, somos Homo sapiens, e isto não por opção.
Ou não?


[Discutindo as relações de trabalho com a Ceci!!!Adooooroooo!]
[Resquícios de Marx em meu ser.!]
[Adam Smith dominandooooo!MeDOOO!]
[Eu to inspirada, vou escrever mais...]
[E todo carnaval tem seu fim...Mas por enquanto, ele nem começou!]

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009


[Garotinhas da cena deslumbradas]
[Furor uterino de dar dó]
[Competições infantis]
[Vulgarmente patéticas]

...
HATE!F***!
Olha, que gracinha...Ela também sabe falar???
o.O



[Lembrando de Lisbela...!]
[Borges, de bike, choreiiii!]
[Eu te amo]
[Deixa ser, como será, quando a gente se encontrar...]
["Nossa juventude, páginas de um livro bom"...rs]
[Tédio!]
[..."I like uuuuuuuuuuuuuuu..."Me too...]

Tá na Nossa Era, honeyyyy!

Aquário (20/1 - 18/2):

1. Frase: "Já estou guardando grana, para construir a NOSSA bela casa lá na LUA".

2. O que o aquariano espera de seu parceiro:
Busca um amigo e amante que seja socialmente adaptável, tenha preocupações sociais, goste de seus amigos, e não seja pegajoso. Dá muito valor à liberdade e à afinidade intelectual dentro de um relacionamento.

3. O que o aquariano diz depois do sexo: "Agora vamos tentar sem roupas"

4. Como irritar um aquariano:
Torne-se pessoal e íntimo. Ao encontrá-los, dê um longo abraço e fique apertando-o contra o peito, emocionado, lacrimejante. Insista para que eles liguem várias vezes por dia para posicioná-los de seus movimentos.

5. Como o aquariano reza antes de dormir:
"Oi, Deus! Alguns dizem que você é homem. Outros dizem que você é mulher. Eu digo que todos nós somos DEUS. Então, por que rezar? Vamos fazer uma festa!"

6. Por que o aquariano atravessou a rua?
Porque isso faz parte de uma experiência que trará incontáveis avanços tecnológicos no futuro.

7. Você foi assaltado e o aquariano....
"Ah, pessoal, já que tá todo mundo bem, porque não esquecemos essa estória e vamos jogar banco imobiliário?"

8. Adesivo para o vidro do carro do aquariano:
"Não tenho tudo que amo, mas tô pouco me lixando para posses"

9. Quantos aquarianos são necessários para trocar uma lâmpada?
Vão aparecer centenas, todos competindo para ver quem vai ser o único a trazer a luz ao mundo.

> Aquário
>
> Detesto este signo.
>
> Detesto mesmo.
>
> E por que?
>
> Porque os diabos dos aquarianos, conseguem perceber as coisas antes que todo mundo e assim, não dramatizam, coisa que eu, sagitário adoro fazer.
>
>
>
> E como conseguem resolver problemas com um piscar de olhos..
>
> Acho até que as aquarianas não tem tpm.
>
>
>
> O chato do aquariano tem o dom de ser futurista e como tal, ele antecede fatos, situações. E depois que você se estrepa ele solta:
>
> 'Não te avisei'?
>
> Chato. Chato. Chato.
>
>
>
> O aquariano sempre é o mais diferente ou o mais tranqüilo....
>
> Ele se antecede as tendências, então tudo que ele disser que é bom ou vai pegar, acredite... vai pegar.
>
> São completamente apaixonados por eletrônicos, jogos, computadores , tudo que é futurista e único.
>
>
>
> Um Aquariano perfeito, seria o maluco beleza Raul Seixas, que falou sobre a metamorfose ambulante.
>
>
>
> Ah,aquário tem humor, tem uma loucura interna e um desprendimento das convenções que não é tipo, que não é calculado. Eles são naturalmente assim.
>
>
>
> Tem uma intelectualidade vibrante, são curiosos, cientistas, adoram analisar as coisas, os fatos, teorizar sobre algo ou mostrar um lado da questão que ainda não foi explorado.
>
>
>
> Pessoas de look original, idéias anarquistas, pessoas que mudam o curso da história são de aquário.
>
>
>
> Também ligados nas questões humanitárias...
>
> Adoram coisas como 'buraco de ozônio', ou o 'futuro do homem na era virtual', ou a 'pílula e sua função neste milênio na vida da mulher'.
>
> ONU e NASA soam como sinfonia dos Deuses no coração aquariano.
>
>
>
> No amor, são divertidos, desencanados, joviais, e não esquentam muito a cabeça com nada.
>
> Nada de supérfluo,lógico.
>
> Na verdade são dedicados, mas nem ouse tentar prendê-los.
>
> Eles te chutam como se chuta uma bola.
>
>
>
> As mulheres de aquário, na maioria das vezes, moram sozinhas, tem filhos sozinhas, tem seu próprio negócio, e não são nada caretas, adoro.
>
>
>
> Mas não se esqueçam.... são cientistas...
>
> E te analisam e te observam o tempo todo, sem você perceber.
>
>
>
> E se você é conservador, familiar e muito moralista, esqueça este signo.
>
> Ele veio ao mundo para agitar...
>
> Que inveja...
>
> Pessoas famosas de aquário:
>
> James Dean, Paul Newman,Matt Dillon,John Travolta, Seal, Jennifer Aniston, Geena Davis, Mia Farrow, Mozart, Amadeus, Darwin, Galileu, Copernico, Julio Verne.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Guarda do Embaú - Sc.!




[Nossa janela para o mar.]

O manual.

Segue agora um guia prático comportamental:(Parte I)

Aos Homens
Está terminantemente proibido:
Oferecer bebidas baratas, sendo que estamos bebendo o nosso drink.(E ainda fazendo pose como se fosse Red label).
Pegar em cabelos, cintura, mãos...O território é meu, dá licença?
Conversar e filosofar na música que você esperou a noite toda!(Como diria a mana, Pista de DANÇA não de BATE PAPO...KKKKKKKKK).
Berrar ainda ao seu ouvido porque você finge não escutá-lo.
Derrubar a bebida em você.
Dar uma de Van Damme e brigar com todo mundo porque tá na paranóia que everybodypeople está te secando.
Lhe deixar falando sozinha.
Desligar o telefone na sua cara.
Inventar desculpas esfarrapadas, como: dormi, fui na casa da minha tia, teve aniversário de criança, acabou a bateria do celular, viajei e lá não tinha sinal, pensei que tivéssemos marcado outro horário, etc, etc.
Ser monossílábico e grosseiro.
Ser repetitivo e sensível demais.
Falar sobre ex namoradas...!
Usar calças agarradas de menina.
Isso incluiu pochetes, amigos bêbados e cretinos,
E cantadas porcas.
Evitem o uso de palavras de baixo calão,
E não berrem.
Falar de carros e alterofilismo também pouco interessa.
E nunca se intitule o "garoto mastercard", que acredita que o dinheiro compra todas as outras coisas.
Contar vantagens ou perversidades...EcA!!!
Dispense o uso de verbetes,
E por gentileza não pise nos meus pés,
e não faça promessas pequenas.
Não me ofereça cerveja.
Se não tem ritmo...Não dance.!
Se desconhece a letra...Não cante.!
Não apelide e não intimide.
Não discrimine.
Não esteticamente hipervalorize.
Não vá de chinelo nem de terno.
Não interrompa o blá blá blá das garotas.
E tente evitar Cindy Lauper e Madonna.(rs)

[Depois de um dia caótico, só poderia sair essa baboseira...rs]
[Esta é só a primeira parte do manual.]
[Escola nova very cool...]
[Saco cheio.]
[Planos.]
[Menthol Cool.]
[20 mg, 1 mg.]
[Ato - Paralisação amanhã. União docente reivindica mais vagas para o ensino noturno.]
[Ontem e hoje pareceram um dia só(não acostumei com essa porra de horário..)]+(
[Saudade do Conselho anárquico!]
[Sem mais!]
Bjoutrotchau!

Imagem by Katie Kirk (gentilmente cedida por Maria Cecília...Gracias chica...rs)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Surpreenda-se...O ser humano é bestial...!

Ahhhh...Juro que desisto!DESISTO, DESISTO, DESISTO!
Posso dispensar opiniões, jargões, impressões?
Posso quebrar biotipos, esteriótipos, protótipos?
Posso ser ácida, áspera, mórbida?
Posso ser insensata, não aristocrata?
Posso ser inoperante, farsante, confortavelmente distante?
Posso ser sárcastica, do contra e mal acostumada?
Posso ser antisocial, imoral, não fraternal?
Posso ser não sadia?
Posso ser mais que uma triste fotografia?
Posso ser mais do que você imagina...Posso ser menos, posso ser dual.
Posso ser O inferno de Dante, o cavaleiro andante,
O cristal que se partiu.
Posso ser desatenta, fraudulenta?
Posso ser uma demente pra conseguir viver entre vocês?
Posso ser sua destruição e sua redenção.
Posso ser aquilo que projetas, aquilo que renegas.
Posso ser aquilo que não pode ser descoberto.
Posso deixar o mundo hipócrita do concreto?
Posso fingir que você é um microorganismo que não enxergo?
Posso desmaterializar suas palavras errôneas?
Posso disfarçar e fingir que habito qualquer outro lugar?



[A maioria das pessoas é medíocre...!]
[Eu não meço palavras MESMOOOOO!Não engulo seco!]
[Vsf - Para alguns...tsc,tsc...]
[E que o som não pare nunca, d.Jeyyyyy!rs]
[Mundo colorido]
[E que venha a Segunda]
[O tricolor empatou...+(]

domingo, 15 de fevereiro de 2009

O triste fim do menino Ostra. - Tim Burton.







[E aos 29 com returno de Saturno, decidi, começar a viver...Quando vc deixou de me amar, aprendi a perdoar...E a pedir PERDÃO...]


[Menina Vudu, Menina Fósforo e Menino Ostra...Outsiders!]

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

[Sexta 13]
[Segunda - Trabalho]





["E quem me vê parado, distante, garante, que eu não sei sambar...Tô me guardando pra quando o carnaval chegar...Há tanto tempo desejo seu beijo molhado de maracujá...'] - Chico Buarque.


"I haven't seen you for ages
I feel like
Looking into your eyes, getting your hugs
It's true, I don't lie/I am not lying
And in this desesperation that I find myself
I even got to the point
To trade/exchange me/myself many times for you
Just to see if I (can) find you
You could really forgive (me)
And just once more accept me
I promise that now I will do everything not to loose you again
Now, what I should do of life without you?
You didn't teach me how to forget you
You just taught me how to want you
And wanting you I try to find you
(But) I get lost
Looking for your hugs in someonelse's arms
Lost in the emptyness of someonelse's steps
From the abysm that you took yourself out
And you threw me into it leaving me here by myself
Now, what I should do of life without you?
You didn't teach me how to forget you
You just taught me how to want you
And wanting you I try to find myself
And in this desesperation that I find myself
I even got to the point
To trade/exchange me/myself many times for you
Just to see if I (can) find you
You could really forgive (me)
And just once more accept me
I promise that now I will do everything not to loose you again
Now, what I should do of life without you?
You didn't teach me how to forget you
You just taught me how to want you
And wanting you I try to find you
(But) I get lost
Looking for your hugs in someonelse's arms
Lost in the emptyness of someonelse's steps
From the abysm that you took yourself out
And you threw me into it leaving me here by myself
Now, what I should do of life without you?
You didn't teach me how to forget you
You just taught me how to want you
And wanting you I try to find you
(But) I get lost
Looking for your hugs in someonelse's arms
Lost in the emptyness of someonelse's steps
From the abysm that you took yourself out
And you threw me into it leaving me here by myself
Now, what I should do of life without you?
You didn't teach me how to forget you
You just taught me how to want you
And wanting you I try to find myself."
[É ISSO..!]

Edward Scissorhands..- Tim Burton

Mate-me por favor...!

Corte-me dessa vez de um jeito mais profundo...Que o sangue escoe, jorre.
Corte-me com a precisão de sua navalha.
Cortes horizontais, dolorosos, são mais.
Corte e jogue álcool, corte-me e desenhe as paredes.
MATA MINHA SEDE.
Corte com a precisão de um bisturi.
Corte com faca de serra, com motosserra,com guilhotina.
Enforcamento em praça pública.
Me incinere.
Bala oca no meio do peito,
Janela do oitavo andar, desespero.
Crave seu punhal,
Idealize o meu triunfante final.
Fure meus olhos pra que eu não mais veja.
Estoure meus tímpanos para que eu não mais escute.
Costure meus lábios para que eu não profane.
Ofereça-me veneno em um copo de champagne...
Brinde a morte desse semi humano.
A vida é viciosamente cíclica.
Se volta sempre ao ponto de partida.
São elos inquebráveis.
Inegáveis.
Homicida porque me faz desfalecer a cada frase doce,
a cada lembrança saudosamente guardada.
A cada dia em que deixo de tocar o céu da tua boca estrelado.


[3 filhotinhos de gatos nos seguiram.]
[Escolhemos finalmente nossos tranfers...EEEEEEE...!]
[Gripada.]
[Marina Lima...Tocou o dia todo!]
[E amanhã é sexta.!]

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

[E me pergunto...
Pq eu não posso pedalar...?]

24 Primaveras!

Todo aniversário meu tem vendaval,
Carnaval, temporal.
Tem bolo, tem crise de velhice,
Tem maluquice, caretice,
E o maldito parabéns...
Por que a gente não pode escolher a nossa música, nesse dia...
Talvez?[Fuck Forever - Babyshambles, seria a música de 2009!.O.O]
Tem um "q" de tortura,
e um de ternura.
Em ter um dia seu.
É um fardo do acaso,
Ter sido coroado,
Num dia de verão...
Após horas de agonia,
Amanda, nasceria...
Rosada,
Roupinhas verdes...
Quase 4 kg de euforia.
Família.Primogênita.
Primeira neta e sobrinha.
1985.Um ano após o Orwell.
A odisséia de renascer,
A cada ano, a cada amanhecer.
Óculos, aparelhos dentários,
Primeiro beijo, primeira tristeza imensa.
DOR.
Bonecas, rock n'roll, meia calça,
e camisa de flanela.
Botas, all star, a menarca,
a depressão, e a guerra.
A formatura, o parque de diversões,[papai colocava seu cinto em volta de mim na balança para eu não cair, e eu sorria e pedia para ir cada vez mais alto...Eu queria voar!]
Cabelos de cachinhos, medo,
Destino.
Faculdade, farra,
Divórcio, irmãos gêmeos.
Rabiscos.
Tudo que fui e que ainda posso ser...TER...


[Conselho - Simplesmente ameiiii o presenteeee!Vcs são fodas!AMOOOO...Vips...rs]
[Mamãe = Comidas perfeitas!]
[E sábado tem mais...]
[Ufa...Esse dia acabou!...]
[A todos que me felicitaram por hoje, fica o agradecimentooooo gigantescoooo!]
[Só.]

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

The killing Moon

Feridas entre as artérias...

Modéstia minha achar...
Que poderias levantar vôo,
Passar desapercebido, sem pouso.
Remar sem porto,
Descer na outra estação.
Pobre de mim, ao pensar,
Que longe de ti, conseguiria respirar.
Ofegante, itinerante,
Estranhamente é onde posso me perder e me encontrar.
Faz parte do alicerce,
Do néctar daquilo que desconhecem.
De face límpida,
De armas banidas.
De um toque que aquece,
Enlouquece,
Me azucrina.
Por que há de ser tão longínqua,
As feridas entre as artérias?
Por que há de ter essa dormência afetiva?
Destrutiva.
Consumo-me entre cigarros e preenchimentos de espaços.
Não quero NUNCA a metade.
Metades são tediosas,
São pavorosas.!
Meio termo,
Meio gay,
Meio grávida,
Meio confuso,
Meio campo,
Meio esperto,
Meio incorreto,
Meio andrógeno,
Meio suspeito,
Meio junto,
Meio separados,
Meio subversivos.
Meio = Estar entre.
Deixe escapar essa verdade logo de uma vez,
Não, ninguém está ouvindo,
Não retoque essa velha tela,
Renove sua galeria,
Permita que o novo quadro adentre, permaneça...
SINTA!
Esse pensamento fixo,
Que viaja pela corrente sanguínea,
Feito vírus, epidemia.

Nós dois sabemos aonde deveríamos estar...
Naquela praia, naquela noite,
Na insanidade juvenil,
De querermos casar...

[Aniversário - Gift = Absolut!]
[Camila linda]
[Saudade]
...


[Se hoje sem você eu sofro tanto, tens do meu pranto, a certeza de um amor...]

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

[O sofrimento é o tempero da arte.]

Divã???Não, prefiro minha verdade semi dita!

Para ter ciência de mim mesma,
Dispensaria a terapia,
O psiquiatra, o monge budista.
As longas reflexões exaustivas.
O distrinchar de cada partida.
De cada subjetividade,Peculiaridade,
Perversidade.

Dispensaria as más companhias,
As respostas arredias,
A comédia desmedida.

Dispensaria conselhos óbvios,
Medicamentos.
Dispensaria livros grotescos.


Dispensaria esteriótipos,
Neuróticos.
Semióticos.
Fanáticos, problemáticos,
Retrógrados e não visionários.


Dispensaria o desespero da fadiga,
Da espera, da empatia.
Do louvor, e da saída.
Dispensaria os autores de verdade humana,
De teoria profana,
De enquadramento universal.

Dispensaria o monólogo,
O jornal, o estranho ao lado que tenta me analisar.
Os ditos populares, as frases de sites.
Os panfletos de Igrejas,
De esquerda, de medicina alternativa.
Não tem manifesto de quem é suicida,
Sociopata, masoquista?

Dispensaria as frases de consolo,
A minha falta de sono.
A minha semi verdade, assim de mim.

Dispensaria a Filosofia,
A história, a arte, a física quântica.
A memória viva.
As pseudo preocupações,
Que na verdade não passam de sanções.

Dispensaria os conselhos dos consanguíneos,
De bem estar por um fascínio,
De ludibriar, ocultar nossos delírios.

Dispensaria o biotipo,
O descartável,
O biodegradável.
Ou o "assiste a tudo em cima do muro".
Dispensaria tudo aquilo que refletisse quem sou eu do avesso...
Nunca será a verdade, sobre ela, Amanda.


[Menos de 24 hras para os 24.]
[Milhões de hras para o fds.]
[Milhões de pensamentos nostálgicos e sem nome.]
[Milhões de expectivas pra não sei o que.]
[Dezembro eu to em Paris, e tenho dito!]
[Quero um presente dos céus...]
[A vida preto e branco - dica de filme]

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Sou uma mentira, que você teima em acreditar!

Bonequinha de Vudu, anjo torto, andando no meio fio.
Era tarde da noite, quando subitamente, ele a "caixa" entregou,
Como se entrega flores em forma de dinamite.

São mentiras que teimamos em acreditar,
Frases tolas só servem pra ofuscar.
Nada é real ou relativo.
Nada é sensacional ou absurdamente imprevisível.
Nada é palpável ou infinito.

E o que restou a mim?
Dívidas com a vida sem começo, meio e fim.
A hostilidade me protege, me faz capaz.
De transformar a face nula em riso maestral.

Sou apenas mais um clichê existencial.
Sem finais extraordinários,
Sem fazer parte do imaginário,
Sem carregar o fardo do "especial".
Produção em série,
Sem manual.
Percentual de venda:
Em cada metro quadrado, um coração orquestrado.
DOMINADO,TREINADO.

Sou comédia romântica de inverno,
Livro do Paulo Coelho.
O discurso de ex viciado, EVANGÉLICO.
Propaganda política,
E final fatídico de novela.

A vida...
Roteiro ensaiado, predestinado.
Marcado por retóricas,
Demarcado em pequenas estrofes.
Indecifráveis, ilegíveis,
Implacáveis.

Palavras por vezes,
São PEQUENAS.
O desânimo, o descrédito,
Por si, gritará.

Quero uma canção de ninar,
Pra cuidar da minha alma, desse mundo doente.
Sou uma mentira que você teima em acreditar!
Bailarina, excêntrica,
Radioativa.
Sou uma menina evasiva, invasiva,
E vazia.
Um eco em mim.
Que me ensurdece,
Como mil clarinetes ferozes,
Tocando em meio a esse pouco de massa cefálica.
FARSA!
Senso comum, estatística que não há falha.
Sem grandes emoções,
Sem grandes verdades.
Objeto dos adjetivos.
Escrava da demarcação do meu moralismo.



[Pedro, Carpinteiro do Universo, O dia em que a Terra parou - Raul Seixas!]
[Insane!]
[Mais do mesmo.]
[Crise dos 24.]
[Cansada dos discursos "políticos"]
[Insônia.]

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Every day and niiiiiiiiiiiiiiiiighttttttt!




[Sem poemas...Somente a dezena de passos dançantes...]

[euseiquevocêlêtudoqueeuescrevoeveryday...]











[Cadê a sexta?]

Closer - Hello Stranger!

São esses olhos em meio a multidão que me chamam,
Seria você, somente mais um estranho?
Alice, heróico, era como gostaria de se chamar.
E seu amor poderia ser intacto, se ele não teimasse em lhe estragar.
Viu no rubro de seu rosto, um depertar semi louco, pelos olhos de outro alguém.
Já o havia perdido em meio a vida...E de nada adiantaria, percorrer pela praça, voltar ao hospital, entregar sua alma, seu jeito de menina.
Ele a renegou.A trocou. Partiu sem despedidas.
Ela implorava por seu afeto, seu manifesto de sentir.
Ia ser abandonada?Não. Iria primeiro sumir.
"Eu não sei parar de te olhar"...Ela pensaria.
Entre eufemismos, fotografias.
Teu rosto de dor escancarado na Galeria.
Acendia seu cigarro, padecia.
Tudo isso é mentira,
Querem admirar arte, sendo o sofrimento parte?
Ela não entendia.
Os cabelos negros, os longos brincos.
"Te amo tanto que isso dói", ela sentira.
Ele, viciado em verdades que não poderiam ser ditas.
Teve seu fim tristonho,
Desse amor enfadonho, ela o abandonou.
Em busca de outros olhos flamejantes, ela libertou.
Enquanto ele, ainda busca fagulhas, do que ainda restou.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009







[Janaína acorda todo dia às quatro e meia
E já na hora de ir pra cama, Janaìna pensa
Que o dia não passou
Que nada aconteceu...]- Música do Mc!

Dê uma nova chance para a VIDA....!

Neste dia tão absurdo e soturno, ora tempestade, ora raios solares.
Fatídica notícia...A vida nos toma de assalto,
Mais PERCALÇOS.
A despedida.
O que temos, além de dois ombros e palavras docemente ditas?
Atravessaremos a cidade e a vida, pra consolar uma alma amiga.
E a chuva dispersa, amarga, sublimina.
Qual é o preço da saudade?
E quanto vale a realidade crua, desnuda?
Por mais que não lhe caiba mais no colo,
Por mais que não lhe tenha como herói.
Recorde das peripércias,
Do amor fraterno,da passionalidade,
Espera, milagre.
Afinal, foram estes olhos que enxergaram a humanidade por você,
Construindo seu eu, sua existência,
sua desobediência de pensar.
E é por isso que os renegamos...
Porque nossos olhos vagarão pela imensidão.
Eles ficarão barbados e sedentários,
Doentes, velhinhos, amedrontados.
Tarde demais para bolas de futebol,
Tarde demais para passeios no parque.
Mas nunca tarde, para saber o que isso significa.
O sangue não inibe, petrifica.
E mesmo as frases quase ditas,
Ficam entre os lábios,
Sabendo que seriam proferidas.
Jamais diremos tudo que se faz necessário,
Os momentos se perdem, simplesmente passam.
E colecionamos sensações,
Mágoas e difamações.
Aonde percebemos que somos mais humanos do que imaginávamos...
Somos imperfeitos, egoístas e dotados de muito, muito receio.
Dizer o que sentes, é se revelar.
Se desmascarar,
Se fragilizar.
Dizer, é ser.
E não dizer, também o é.
O que está implícito,
Também é realismo.
E quem contestará essa veracidade?
Quem dirá que é imoralidade?
Aprendemos a costurar nossos lábios quando crianças.
A ter sutileza entre a verdade.
A medir, a agradecer, sem ter vontade.
E essa espontaniedade, para onde irá?
Os colarinhos esganaram suas vozes?
Será?
Dou-lhe a mão nesta jornada de espinhos,
E a tua mão também está aqui, dentro deste coração partido.
O vejo agora, deitado sob estrelas,
Observando o quanto vã é a tristeza terrena.
[Luto]


[Heros - David Bowie ]

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Introversão, mundo paralelo.

Fechem as cortinas.
Tranquem as portas.
Lacrem as janelas.
Construam grandes muros.
Eu não quero essa jaula de observação, privação.
Longe de vocês, longe dessa monotonia,
Dessa frigidez de viver.

Desligue, desapareça, esqueça, amorteça, enlouqueça.
Corte os punhos, os cabelos e a comunicação.
Mude de cidade, de roteiro, de realidade.
"Meu mundo tá fechado pra visitação."

Rompa os laços, os rastros, os estragos.
Incinere o passado.
Desconstrua o esqueleto.
Mande para a terra dos mortos, o desespero.

Reformule suas travessias.
Suas más escolhas bandidas.
Seu exército de um homem só,
que luta sempre, sempre em vão.

Dogmatize seu consciente,
Doutrine seu inconsciente,
Seja eloquente, inesperado,
Incoerente.

Ríspido e monossilábico,
Ácido e hemorrágico,
Gélido e impermeável.
Este é o troféu, que ofereço humildemente a ti.
O que mereces de mim.

Nade até o outro recife.
Procure um novo cardume.
Tira esse azedume,
Que eu sumirei para sempre de ti.

Meu trem já vai partir,
Pra estação da revolução.
E eu sei que você quer ficar,teima.
O mais do mesmo, já não interessa, não cabe mais.
O torpor e a euforia,
Sumiram como a gota de chuva,
caída perdida na guia.

"Afinal, não foi tão dificil atravessar a rua naquela noite. Tudo depende de quem espera por você do outro lado."- My Blueberry Nights.

Libertè...
"E aqui de dentro a porta se abriu..."- Los hermanos.

[Vc deve sua vida a alguém?]

[Modinhas, delírios consumistas, escolhas célebres...]
[28.06.42.12, cadê?]
[Apraz,Rohpynol(1mg), Paroxetina(40 mg)].
[Orloff]



E o triste fim do menino ostra!

é a Fênix...!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

'Todos nós temos duas vidas...

A que sonhamos,

E a que vivemos...'

[Quase dois irmãos]

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Amélie Poulain

Trilha Sonora
J'y suis jamais allé (1:34)
Les jours tristes (Instrumental) (3:03)
La valse d'Amélie (versão original) (2:15)
Comptine d'une autre été : l'après-midi (2:20)
La noyée (2:03)
L'autre valse d'Amélie (1:33)
Guilty (Al Bowlly) (3:13)
À quai (3:32)
Le moulin (4:27)
Pas si simple (1:52)
La valse d'Amélie (versão orquestrada) (2:00)
La valse des vieux os (2:20)
La dispute (4:15)
Si tu n'étais pas là (Fréhel) (3:29)
Soir de fête (2:55)
La redécouverte (1:13)
Sur le fil (4:23)
Le banquet (1:31)
La valse d'Amélie (Piano) (2:38)
La valse des monstres (3:39)
L'Autre Valse d'Amélie (Version Quatuor à Cordes) (1:41) (edição limitada francesa)
Les Deux Pianos (1:58) (edição limitada francesa)
Comptine d'un autre été (02:00) (edição limitada francesa)
La Maison (02:03) (edição limitada francesa)

Meu jeito de ser (com "J" mesmo, por gentileza, é somente a fonética...Bláh!

Minhas intervenções e reações,
são meros truques de minha psiquè.
Quando joga teus olhares a mim, o que consegues ver?
Neste mar revolto, bicho solto.
Neste sarcasmo em demasia,
Nesta rosa inexplicavelmente sombria.
Este é o meu jeito de ser.

Eu prefiro morrer a ter que segurar suas mãos,
A ter que pedir perdão, permissão, solução.
A medir minhas facetas.
Esse é meu jeito de ser.

De franzir a testa, contesta!
Do choro, quando se desconcerta.
Do riso quando se desprende,
A dor quando se arrepende.
Esse é o meu jeito se ser.

De pseudo poesias, de nudez da alma, de nostalgias.
De pés no chão e pensamentos ao vento,
De intenso, de mórbido, envaidece-se, joga tudo ao vento.
E nesse desacerto, nasce a mescla de perfeição e defeitos.
Esse é o meu jeito de ser.

Eu preferiria morrer ao ter que segurar a sua mão,
A ter que voltar atrás.
Dentre os redemoinhos transversais.
Entre o bipolarismo, e o anarquismo.
Entre os desafetos, em meio a este concreto.
Esse é o meu jeito de ser.

Fadiga, espera, preguiça.
Vícios, virtudes, quem me dera?
Eu preferiria morrer ao ter que segurar a sua mão.
De certezas, de probabilidades, de emendas.
Esse é o meu jeito de ser.

Cabelo, rins, cerebelo.
Libertação, distração, omissão.
Nessa terra de anormais.Somos viscerais.
Cores, simbologias, decifrar-me.
Neste cigarro verde,
Nesse caos vigente.
Uma pequena fagulha de sentir.
Uma estrela cadente, decadente.
Esse é o meu jeito de ser.

Hiperativa, sensitiva, perdida.
Carregue somente a viola, os amigos e a vitória.
Aonde enxergamos a glória de pulsar.
De viver, de lutar.Um dia e nada mais.
Esse é o meu jeito de ser.

(Por Amanda, numa "onda" de Raul, Gitã...