BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

"Em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos. "

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

[Aonde a mente nos levar...]

Bom dia.
Não, ela terminantemente não acorda com madeixas alinhadas, nem exalando bom humor.
São olhos inchados e remelentos, e uma ânsia de voltar a dormir, entre seus lençóis de elástico incrivelmente arrancados.
Sonhos rasos, medos vazios.
Ela junta seus rastros de preguiça, escova a língua até quase regurjitar.
Ela aumenta o som e a insanidade.
Separa algumas poesias que gosta de reler infinitamente, e caminha livre, como se estivesse dançando entre o concreto e aquilo que lhe afoga. Diverte-se quase que besta, com o vento que leva consigo os papéis que o advogado diabólico empilha em frente ao Fóro. Ou ao equilibrista de si mesmo, que prefere beber a vida em garrafas de cachaça barata.
Acende, traga. Compete com si mesmo. Quer jogar a bituca mais longe. Sorri.
Sopra semáforos para que abram.
Sussurra piadas infames. Pisa nas linhas horizontais.
Ela caminha tão leve, que nem parece nessa cidade maluca,
ESTAR.

=***

sábado, 21 de novembro de 2009

[O passado é uma roupa velha, que já não lhe serve mais...]

É um FARDO. Só nisso que consigo pensar que possa ser...¬¬
Surgindo do Egito Antigo, saltando dos sarcófagos, oriundos de Quéops ou das profundezas do inferno.
Porra, dá pra me deixar em paz???
Ando me sentindo no Resident Evil, #fato.
Os zumbis se aproximam, e eu hei de retirar meu machado do armário, que está logo ao lado do pretinho básico...(Y)
Bem vindos ao 1984, MESMO!
É como se minhas palavras fossem realmente jogadas ao universo. E percebo que 'sou lida', por quem já passou por mim, e amargou...¬¬
Qual seria o súbito interesse desses seres emergidos das catacumbas?
VOLTEM AO PALEOZÓICO, pleeeeeeeeeease.!
Qual o sentido que se dá ao FIM?
O que foi embora, e não se petrificou, eu dispenso.
Eu rio de vocês, #gargalho na verdade.
Começo a achar mais patético do que cretino.
E de uma forma semi sádica, eu acho excelente!
Sacio minhas frustrações na continuidade apática da existência reles de vocês.
Deixo rastros de conquistas únicas. E quanto ao que fazem?
Vivem às sombras, a espreita, feito urubus na carniça.
Zombam do 'simples', do 'fácil'. Mas não compreendem o óbvio, o intenso.
Só sabem de cor o retrocesso, o 'falso acesso', a ruína que é compartilhar qualquer fatia enbolorada ao lado vocês.
E eu estou ai dentro, a voz que não cala.
O perfume que surge.
A saudade que mata.
A vaidade que afaga.
A ilusão que renegas.
A pedra eternaaaaaa do sapatinho.
Agora, faz um favor?
Me mira, mas me erra?



#nem merecem um post, mas eu também não mereço que me assombrem..!¬¬

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

[Se eu tivesse uma bazooka...DIE, DIE, DIE....!]

Mano...
Tem coisa pEor, do que coletivo lotado no calor?
Mesmo porque, quase todas as malditas janelas estão emperradas, e com o congestionamento exorbitante da cidade do caos, são horas em meio ao Saara.
Como se não bastasse o sol da Bahia nascendo de dentro do ônibus, você ainda tem que não se irritar, com o toque de desconhecidos suados, fétidos. Ou são mochilas/sacolas, ou braços, sem pedidos de licença, sem solidariedade com pés machucados ou carregando zilhões de coisas.
Quero o FUSCAZUL logo.!
E ele virá, daqui a pouco, pouquíssimo tempo.
E eu poderei fumar, ouvir música alta [sim, eu posso usar os fones, mas não posso cantarolar].
E abrir meus vidros, xingar os newbas, acelerar pra não perder o sinal aberto, fazer caminhos alternativos, e chegar BEM mais RÁPIDO!
=)


=*

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

[Crise dos 24.]

Sim, continuo achando que o tempo tá passando rápido demais. Sabe aquelas ruguinhas que acha que vai ter só aos 30? TRISTE ENGANO. Em volta dos olhos, grandes linhas, como um desenho infantil. Mas sei que foram todos os meu sorrisos.
Fato que as lágrimas criaram verdadeiros bolsões, praticamente lençóis freáticos em minha face.
O cabelo também está mudado. Parece mais frágil. Minha escova anda hemorrágica. #fato.
Semi varizes nas pernas, resultado de horas e horas de butantã/USP de pé.!¬¬
Sono constante + embriaguez instantânea.
Fora a ânsia social de casamento, filhos, bons empregos, casa própria, ascensão.
Não, eu não plantei uma árvore, não escrevi um livro.
Não sou membro de Ong, não sou do movimento estudantil.
Não faço coleções importantes e raras, não gosto de comidas exóticas.
Não to preocupada com o tratamento novo pra celulite, aquelas coisas que tem nomes que começam com linfo, sucção daquilo, ou sei lá que raios.
Não curto bronzeamento artificial, eu gosto de ser assim, transparente, filha óbvia da metrópole do ar condicionado.
Não quero emagrecer com cibutramina, encorpar com suplemento, ou malhar na academia.
Não quero ter que decidir mestrado, não quero um carro zero e prestações milenares.
Não quero fazer unhas na manicure, não quero ler Marie Claire, não quero saltos altos e camisas em seda.
Não quero crescer, eu acho...

terça-feira, 17 de novembro de 2009

[...Cai a noite, penso...]

Os caminhos errôneos para mim, sempre pareceram mais convidativos.
Talvez seja porque, os problemas nos dão as dávidas que necessitamos.
É sempre preciso aquela porção de angústia, para se sentir com sangue nas veias.
E eu espero porque não me parece restar nada além disso.
Espero por temer, por renegar, por desconfiar que mereço tal sensação.
Até me encher de carinho em palavras adocicadas, até suspirar em teus gracejos juvenis, até sentir aquela vontade súbita de dizer:
- PODE PULAR, EU SEGURO TUA MÃO, VEM COMIGO.

Mergulhei e me afoguei em teus sorrisos.



Da 'magrela' pro 'sardento'.
=*

sábado, 14 de novembro de 2009

[espero]

Ora, se não fossem as noites forradas em estrelas, 'horas a fio', sintonia inquietante, eu teria sim, lhe mandado para longe, para o inferno, ou até alcançar uma distância segura. mas malditos olhares que me acercavam. Beijo, do gosto que teima em persistir. o aroma dos sorrisos que inundam.
Finjo, forjo, desassocio. Não quero pecar em vão. Não quero amar. Mas a gente tenta encontrar sempre a perfeição inexistente..
E as vezes buscar a paz, na guerra.
mas não foi permitido covardia.
Resolvi não comer pelas beiradas. Não aguardar um acaso, um motivo, uma inconsequência, para o encontro, finalmente, acontecer.
A vontade implica em reciprocidade.
A gente vive dizendo que não sangra.
Mas cada qual sabe reconhecer bem suas feridas.
Meu cotidiano agora é afetado por porções de magia.
E eu recebi sem MEDO.
Só você ainda não sabe o que fazer.
Isso porque, tudo que mais desejaria, era que você coubesse, assim, perfeitamente, dentro da minha caixinha...


[Até voltei a escrever.
Nota: #medo. ]
Bjomeliga!
;]

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

[Você mudou.]

'agora só falta, tornar possível.'






...

terça-feira, 3 de novembro de 2009

[Meu olho no teu olho.]

Sintonia semi kármica.
Calafrios intinerantes, soturnos,
DELIRANTES.
Afortunados os que sucumbem,
ao visceral, ao paradoxal.
Não te toco.
Suspiro, distancio, observo.
Até me afogar em beijos luminosos,
Proibidos, tortuosos.
E desejar um infinito de braços,
De dúvidas, de espaços.
Flutuar entre neblina,
Saciar 'a vontade na saliva'.
Te cuidar, feito jardim de flores.
Deixa eu ser tua sina?




...

domingo, 1 de novembro de 2009

[Agora eu sei..]

Teu olho em meu olho.

IN LOv...
=*





'e simplesmente aconteceu, again.'